Etiquetas

, ,

Há um novo viral na internet, um vídeo em que um motociclista filma um rapaz roubando sua moto e, em seguida, sendo atingido por tiros de um policial, que não estava trabalhando e por acaso passava pelo local no momento do crime.

Não quero entrar no mérito de se a ação do policial foi legítima ou não, mesmo porque não está claro pra mim se o criminoso apontou a arma para ele antes de ser atingido. O que me preocupa é a reação da população a essa história, podemos observar nos comentários do vídeo e de um post no facebook sobre isso um imenso desprezo pela vida do assaltante.

Alguns falam que o policial estava certo e o bandido mereceu, outros que:

Devia ter sido 2 na cabeça ,parabéns ao PM.

E se alguém argumenta que não é desejando a morte de quem rouba que resolveremos o problema, recebem respostas do tipo:

Fala isso porque ninguém que ama deve ter nítido por causa de um celular, ou de um carro ou uma moto. Esse cara não estava roubando pão pra comer. Ele e um bandido que não pensaria dias vezes antes de ter matado o cara e no dia seguinte faria a mesma coisa com outra pessoa. Ele vai sair do hospital passar um mês na cadeiae voltar pras ruas . R se você acha que esse cara vai se contentar com um emprego d de auxiliar de limpeza para ganhar menos de 700 por mês você está mais enganado ainda. (…)

A revolta social contra a alta criminalidade é compreensível, mas precisamos repensar esse tipo de reação, ele não constrói nada, apenas aumenta a violência. A única coisa que pode diminuir a criminalidade, em qualquer lugar, é a redução da desigualdade social, e pra isso não tem fórmula mágica, não é algo que acontece do dia pra noite… É preciso ter políticas públicas efetivas na área de educação e infraestrutura, é preciso dar espaço no mercado de trabalho – com salários condizentes com o custo de vida daquela cidade.

Na minha opinião responder violência com violência apenas cria uma bola de neve, levando os criminosos a serem mais violentos ainda – se “o cidadão de bem” não se importa com a vida do marginal por que o marginal se importaria com a vida dele?

Certa vez acompanhei meu namorado em uma delegacia, seu celular foi furtado durante um show, a polícia conseguiu prender uma quadrilha que estava atuando nesse show e recuperar o aparelho junto com outros celulares. Além de nós, tinha mais umas 7 pessoas na delegacia. Um casal viu os policiais dando tapas na cara dos presos enquanto os interrogavam e comentaram isso com a gente em tom de aprovação, minha reação foi dizer que sou a favor dos direitos humanos e não achava aquilo certo… não sei o que poderia ter feito, já era de madrugada e reclamar com policiais que estavam trabalhando há muitas horas, ganhando pouco para lidar com coisas do tipo todos os dias, não me pareceu algo produtivo.

Foi uma situação que me deixou bem desconfortável, um crime não violento foi cometido e a resposta foi um interrogatório violento. Mesmo que tivessem cometido um crime violento não concordaria com uma polícia que batesse, matasse, torturasse…

A policia representa o Estado, representa a sociedade, me representa, se ela age fora da lei, será tão criminosa quanto os criminosos que pretende punir. Se eu apoio uma instituição que age assim o que isso faz de mim?

O que quero dizer é: quem age fora da lei deve ser punido de acordo com a lei, nada que seja menos ou mais que isso é aceitável em uma democracia. Tanto as pessoas quantos os policiais que assumem posturas ilegais devem ser punidos dentro das normas que nossa legislação instituiu.

Anúncios